Quem me conhece sabe que tenho imensas áreas de interesse, desde a música até à fotografia, física e religião, ténis e aeronáutica, e por aí fora; um coca-bichinhos, portanto. Como consequência, não sou realmente bom em nenhuma delas, tirando duas ou três onde invisto mais tempo e esforço.

Uma das áreas onde sempre quis investir mais foi na electrónica digital, mas nunca tive tempo, nem do outro tempo (€€), que a coisa ainda sai ligeiramente dispendiosa. Só a dificuldade em encontrar quem vendesse circuitos de portas lógicas seria complicado.

Aqui há uns meses ouvi falar – e pelos vistos, já tem uns anos, desde 2005 – do Arduino, que é uma plataforma open hardware com microcontrolador e respectivo software de programação. A ligação ao computador (para se programar o microcontrolador, um Atmel AVR) é por USB, o que também dispensa a compra de um programador dedicado (que também é carote). Devido a estes factores, o potencial de reutilização de projecto para projecto é ilimitado. Quando quisermos passar um projecto para utilização definitiva, é só comprar os componentes essenciais (basicamente, o microcontrolador e um cristal, para além dos componentes mais comezinhos), e montar numa placa independente, continuando com a plataforma disponível para a prototipagem de novos projectos.

DFRduinoPosto isto, a coisa agradou-me, e mandei vir este kit (por acaso, este já é o novo, com o Arduino Uno – a minha versão é com um clone do Duemilanove, um DFRduino) da plataforma, que inclui um bom conjunto de componentes, dos quais se destacam uma breadboard, dezenas de resistências de vários valores, dezenas de LED’s e perto de uma centena de cabos para breadboard. Depois de acabar o redesign do site, atirei-me aos vários projectos de iniciação, seguindo o e-book elaborado de propósito para o kit.

A linguagem de programação é relativamente acessível (é C), com um conjunto de instruções específicas relativamente curto. A única limitação que me preocupa é a memória disponível para os programas, apenas 30 KB, o que, incrivelmente, me faz lembrar o velhinho ZX Spectrum (e esse tinha 48 KB) e as voltas que se tinha que dar para encaixar os programas em tão pouca memória.

Há um projecto grande, por assim dizer, que quero implementar ao longo deste ano (e que será aqui postado passo-a-passo), mas, para já, fiquem com as pequenas aventuras que já fiz do tal e-book. Peço desculpa por não ter filmado, o que, nalguns projectos, seria mais interessante do que fotos; mas fica prometido para a próxima.

Pisca-piscaSemáforo ISemáforo IIKnight Industries Two ThousandMood Lamp IMood Lamp IIFogo falso

Partilhar no Sapo Links Partilhar no del.icio.us Partilhar no Digg Partilhar no Twitter Partilhar no StumbleUpon Partilhar no MySpace Partilhar no Facebook

Comentários Deixar um comentário

 Categorias
 Arquivo
 Projectos em Destaque
 Últimas Postas no Blog
 Últimos Comentários do Blog